COMO ECONOIMIZAR E SONHAR

DICAS E ESTUDOS SOBRE FINANÇAS.

Dicas de Comportamento, Gestão Financeira, Controle de Gastos e Economia Doméstica – a luz da palavra de Deus – com o irmão Paulo Noia.

Vamos falar de um assunto importante, e inerente em nossas vidas. Como gerir melhor nossos recursos, administrar melhor nossos gastos, controlar nossos impulsos que nos levam a consumir na emoção, e possivelmente realizar sonhos adormecidos. Para isso vamos discorrer segundo a luz da palavra de Deus, sobre comportamento, economia, finanças e controle de gastos.
Vale lembrar que, hoje 60% das famílias brasileiras encontra-se com problemas financeiros e mais de 50% encontra-se endividadas (dados do SPC). Isto significa se você conhece uma família, ou você ou ela está com algum problema financeiro.
Mas porque tudo isso? Porque nossos recursos são insuficientes? Será que ganho pouco ou será pela falta de recursos? Será por conta do desemprego? Porque sou tão compulsivo nas minhas compras? A resposta desses dilemas serão o norteamento dos nossos encontros.
Um dos maiores vilões da economia hoje são os altos impostos sobre os bens de consumo e essências (aqueles que não temos como deixar de consumir – alimentos, transporte, combustíveis, luz e água, e outros). Essa poderia ser uma resposta contígua para justificar o descontrole e a falta de recursos suficientes para prover e manter pelo menos nossas contas em dia. Outro fator a ser observado é a crise econômica que estamos enfrentando nos últimos anos, a alta do desemprego e a instabilidade, tornando-se difícil evitar que as contas de casa consumam uma boa ou a maior parte do nosso salário.
Se olharmos um pouco para trás (década de 80 – período vivido pelos nossos pais – filhos de 40 anos), registramos momentos de grande estagnação e retração agressiva da produção industrial, inflação altíssima, crescimento pífio do PIB e acima de tudo um aumento da desigualdade social (má distribuição de rendas). Sem contar com as altas das taxas de juros (ocasionando crescimento da dívida pública brasileira e consequentemente o déficit público (fator este que impedia investimentos e gastos com saúde, educação e segurança).
Então como nossos pais conseguiram sobreviver a esse período aparentemente mais nuvioso que os de hoje? Como conseguiram nos educar, alimentar e nos dar um pouquinho que seja, momentos de laser e tranquilidade? Era diferente a época deles comparadas com a nossa hoje?
Sim, se olharmos para o período temporal. Não, se olharmos para o momento econômico e social. As mesmas dificuldades vivenciadas pelos nossos pais foram iguais ou maiores que as nossas hoje, de acordo com a sua proporcionalidade. Ditatura, dificuldade financeira, desemprego, congelamento e ágio nos preços, falta de produtos nas prateleiras, tudo isso, foi conexo naquela época. Mas nem por isso, deixamos de vivencia-las e superá-las, com muito ensinamento e educação financeira, sem que nossos pais fossem experts do assunto.
Então, o que posso tomar como parâmetro o período difícil vivido pelos nossos pais e os dias de hoje economicamente falando? É possível economizar e controlar os nossos gastos? Diante destas perguntas tentaremos simplificar os motivos que levam tanta gente a esse problema sistêmico e concludente, abordando os tópicos: Comportamento, Gestão Financeira, Controle de Gastos e Economia Doméstica, utilizando a teoria, a prática e na palavra de Deus.

ACESSE OS PASSOS A BAIXO :

Paulo Noia, economista, doutor em Teologia, mestre em Administração de empresas. Atualmente trabalha na Secretaria de Estado da Fazenda como supervisor de área Fazendária no setor de estudos e Informações Econômicas e Estatísticas, como professor de Economia e Finanças na Faculdade Castelo Branco de Colatina e psicanalista pelo CAV.